Caso Gabriel: Laudo médico confirma que corpo encontrado em Rio é do garoto

Exame de DNA foi divulgado na tarde desta sexta-feira (06)

Por Redação 06/09/2019 - 17:38 hs
Foto: Miracatu Diário

O corpo da criança encontrado no Rio Ribeira de Iguape pertence ao menino Gabriel, de oito, que estava desaparecido há quase 1 mês. O laudo médico foi divulgado na tarde desta sexta-feira (06). As informações foram confirmadas pela família ao Miracatu Diário.

O corpo foi encontrado no dia 26 de agosto no município de Iguape. A criança foi encontrada no bairro Jipovura, próximo à entrada que dá acesso para o Porto da Moça, na área rural de Iguape.  O corpo foi encontrado pelo helicóptero águia da Polícia Militar, já em estado de decomposição, e foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Registro. Os exames foram feitos em São Paulo.

No mesmo dia, a família do menino Gabriel reconheceu as roupas e acessórios no corpo. De acordo com informações obtidas pelo Miracatu Diário, a criança estava vestindo uma calça azul e uma bermuda laranja por baixo, além de um colar no pescoço. A família alegou que Gabriel usava tanto o colar, quanto a bermuda no dia em que desapareceu.

A polícia acredita que o corpo encontrado possa ser o mesmo que um pescador tenha visto na noite do ultimo domingo (25), no bairro Guaviruva, em Registro. Ao chegar ao local, os agentes não conseguiram localizá-lo, já que estava muito escuro e possivelmente foi levado pela correnteza.

Saiba tudo sobre o caso

Gabriel Lopes Coutinho desapareceu no dia 11 de agosto (domingo), no bairro Vila Ouro, zona rural de Registro. O garoto havia saído para brincar de empinar pipa com alguns colegas por volta das 16h e, segundo a mãe do menino, Luciana, ela havia pedido para que ele retornasse uma hora depois, mas quando foi chama-lo, Gabriel já havia sumido.

As primeiras informações foram que Gabriel havia se desentendido com um dos seus colegas e que sua pipa foi quebrada. O garoto foi visto pela última vez em frente a uma borracharia e estava vestindo uma bermuda laranja com um colar no pescoço.

 

Ao Miracatu Diário, Luciana informou que chegou a procurá-lo por todo o bairro, mas não o encontro. Na segunda-feira (12), ela foi à Delegacia de Registro para registrar o Boletim de Ocorrência.

Buscas

As buscas por Gabriel tiveram início na terça-feira (13). Equipes das polícias Militar, Ambiental, Civil e Corpo de Bombeiros se deslocaram até o local a fim de encontrar o menino. Cães farejadores foram trazidos da capital para auxiliar nas buscas.

 

Um inquérito policial foi instaurado na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro, que auxiliaram nas buscas. Uma das primeiras hipóteses foi que Gabriel pudesse ter caído em um poço, já que, naquela área, há um histórico de haver vários poços próximos, ou até mesmo estar em um lago, mas o garoto não foi encontrado.

Na sexta-feira (16), as buscas foram intensificadas e contaram com o apoio do helicóptero Águia, drones do Corpo de Bombeiros, polícia ambiental e canil. Porém, na segunda-feira (19), as buscas foram encerradas, já que todo o perímetro havia sido fiscalizado.

Primeiras pistas

Segundo a polícia, pedaços de rabiola de pipa e a roupa foram encontrados em uma trilha próxima ao bairro Vila Ouro na quarta-feira (14), porém, ao Miracatu Diário, o delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro, Marcelo Freitas, negou que o material encontrado fosse de Gabriel Coutinho.

A roupa encontrada é uma bermuda de cor vermelha, um uniforme da rede estadual. Segundo apurado pelo Registro Diário, Gabriel estudava em uma escola de rede municipal e, no dia do seu desaparecimento, estava vestindo uma bermuda laranja, de tamanho menor, e estava sem camisa.

 

Ainda na quarta-feira (14), um chinelo e a pipa usados por Gabriel foram encontrados pelas equipes por volta das 14h. De acordo com a família, Gabriel estava usando o chinelo no momento que desapareceu e confirmaram que a pipa é a mesma com a que ele estava brincando. As pistas foram encontradas em uma linha de trem próxima ao local onde o garoto estava brincando no domingo (11) e, ainda segundo a família, eles já haviam procurado naquela região antes e não haviam encontrado o chinelo.

 

Investigação

Todos os familiares e vizinhos de Gabriel foram ouvidos pela Polícia. Dois veículos que estiveram na casa de Gabriel chegaram a ser apreendidos, sendo um deles do padrasto do garoto. Tanto ele, quanto a mãe de Gabriel, prestaram depoimento na DIG de Registro. Segundo apurado pelo Miracatu Diário, o pai biológico do menino reside na cidade de Jacupiranga.

Na sexta-feira (16), um cão farejador foi usado para verificar o carro do padrasto do garoto, mas o animal não demonstrou nenhum interesse no veículo. Questionada, a família revelou que a criança não costumava andar no carro. 

Na quarta-feira (21), a perícia foi à residência que Gabriel morava, para tentar descobrir novas pistas sobre o que possa ter acontecido com o garoto. Os agentes usaram um produto chamado luminol, que é muito usado em investigações criminalísticas. O produto é aplicado com borrifadores especiais, descobre os resquícios sanguíneos ao ter contato com a hemoglobina, identificando o ferro presente no sangue por meio da geração de uma intensa luz azul que pode ser vista em um local escuro ou no momento em que se apaga a luz do ambiente.

Na quinta-feira (22), a Polícia Civil de Registro descobriu imagens de uma criança dentro do carro do padrasto de Gabriel, o que levantou suspeitas à polícia. Em entrevista ao Miracatu Diário, o delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro, revelou que o padrasto do garoto prestou depoimentos contraditórios e mentiu para a polícia. Ele depôs à polícia novamente.

 

Primeiro suspeito

No dia 18 de agosto (domingo), um homem de 23 anos foi preso em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável. O indivíduo invadiu uma residência no bairro Vila São Francisco, em Registro, e passou as mãos nas partes íntimas de uma menina de apenas dez anos. 

Ao Miracatu Diário, a polícia informou que o sujeito vive em situação de rua e anda por diversos lugares da cidade. Por ter cometido o crime contra uma menina com idade próxima ao de Gabriel e por andar, até antes de ser preso, sem rumo por diversos bairros da cidade, a polícia o colocou na lista de suspeitos pelo sumiço de Gabriel.

Posteriormente, o rapaz foi retirado da lista de suspeitos.

Mais pistas encontradas

Roupas e objetos infantis foram encontrados, no dia 28 de agosto, em baixo da Ponte da Bete, próximo onde o menino Gabriel, de oito anos, morava. Agentes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro estiveram no local recolhendo o material. 

Segundo apurado pelo Miracatu Diário, roupas e duas bicicletas foram encontradas na ponte, sob a linha de trem, próxima a estrada das areias. O material estava escondido em um buraco, onde um andarilho sempre ficava. Segundo a polícia, todo o material foi recolhido e passará por perícia. 

Segundo suspeito 

O suspeito de ser responsável pelo desaparecimento do menino Gabriel, de oito anos, foi preso pela Polícia Civil no dia 29 de agosto. Objetos do menino e o carretel da pipa estavam no local onde o andarilho dormia.

Segundo a polícia, o morador de rua possuía uma blusa vermelha de manga comprida, mas um dos lados estava rasgado. A blusa possuía o mesmo tecido e cor do material utilizado para amarrar as mãos do cadáver de uma criança que foi encontrado no Rio Ribeira, no município de Iguape.

Segundo o Delegado Titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro, Marcelo Freitas, ainda no local, foi encontrada uma bíblia com uma página marcada, onde constatava trechos de sacrifício de crianças, o que levanta mais ainda as suspeitas.

Ainda de acordo com a polícia, o homem teve a prisão temporária decretada, por homicídio, ocultação de cadáver e, eventualmente, crime de estupro de vulnerável, que será confirmado pelo Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo.